A distropia do plágio

Nesta semana tenho a interessante idéia de trabalhar com Helder da Rocha. Quem o conhece ou já conversou com ele alguns minutos, consegue perceber que qualquer assunto não tem hora para terminar, e o quão interessante é discutir sobre qualquer tópico.

Bom, isso serviria mais para um scrap do orkut do que para colocar no meu blog, mas o que quero chamar a atenção é sobre algo que ocorreu com ele semana passada.

Helder escreveu uma tradução da Divina Comédia (de Dante Alighieri) em prosa e publicou na internet em 2000.

Foi publicada uma revista sobre a vida de Dante Alighieri e o 1o artigo, copiou vários parágrafos da tradução que o Helder fez. Helder colocou as comparações lado a lado, para que você possa avaliar o quanto foi copiado. Recomendo que você leia o blog dele para ter mais informações sobre o desenrolar dos fatos.

O que acho incrível neste cenário, é um prof. PhD. com vasta experiência publicar cerca de 90% da tradução do Helder. Será que o possuidor de tamanha experiência necessite recorrer aos métodos dos estudantes secundaristas (ou primários), para efetuar o trabalho de casa ? Onde está a criatividade ? a interpretação ?

Outro grave problema que noto é que isso não ficou restrito ao circuito acadêmico, mas foi publicado em uma revista de circulação em bancas, o que causa problemas para a revista, pois ela é responsável pela publicação e pela averiguação do que é publicado.

Através deste blog, manifesto minha solidariedade ao Helder, para que receba os devidos créditos e um pedido de desculpas formal.

Written on February 13, 2007